O QUE É O CÂNCER?

É um conjunto de mais de 100 doenças que apresentam como característica comum o crescimento desordenado de células. Essas células têm um comportamento agressivo, se aglomeram invadindo tecidos e órgãos e formando os tumores. As células malignas podem também migrar para outras áreas do corpo desencadeando o que chamamos de metástases.

COMO SURGE O CÂNCER?
As células que constituem os animais são formadas por três partes: a membrana celular, que é a parte mais externa; o citoplasma, que é o corpo da célula; e o núcleo, que contêm os cromossomas, que, por sua vez, são compostos de genes. Os genes são arquivos que guardam e fornecem instruções para a organização das estruturas, formas e atividades das células no organismo. Toda a informação genética encontra-se inscrita nos genes, numa “memória química” – o ácido desoxirribonucleico (DNA). É através do DNA que os cromossomas passam as informações para o funcionamento da célula.
Uma célula normal pode sofrer alterações no DNA dos genes: é o que chamamos mutação genética. As células cujo material genético foi alterado passam a receber instruções erradas para as suas atividades. As alterações podem ocorrer em genes especiais, denominados protooncogenes, que a princípio são inativos em células normais. Quando ativados, os protooncogenes transformam-se em oncogenes, responsáveis pela malignização das células normais. Essas células diferentes são denominadas cancerosas ou malignas.

COMO SE COMPORTAM AS CÉLULAS CANCEROSAS?

  • Se multiplicam de maneira descontrolada e de forma mais rápida do que as células normais do tecido à sua volta, invadindo o tecido vizinho podendo chegar ao interior de um vaso sangüíneo ou linfático.
  • Adquirem a capacidade de se desprender do tumor e de migrar para locais mais distantes, causando a mestástese.
  • Dependendo do tipo da célula do tumor, alguns causam metástases mais precocemente, outros o fazem bem lentamente ou até não o fazem.
  • Geralmente, têm capacidade para formar novos vasos sanguíneos com o objetivo de nutrir e manter as atividades de crescimento descontrolado celular.
  • Conforme as células cancerosas vão substituindo as normais, os tecidos invadidos vão perdendo suas funções. Por exemplo, a invasão dos pulmões gera alterações respiratórias, a invasão do cérebro pode gerar dores de cabeça, convulsões, alterações da consciência.

O QUE CAUSA O CÂNCER?

Existem diversas causas para o câncer, internas ou externas ao organismo.

  • Causas internas: relacionadas com características genéticas
  • Causas externas: relacionadas ao meio ambiente, ambiente social e cultural e hábitos individuais.

Esses fatores podem interagir, aumentando a probabilidade de transformações celulares malignas.

 

FATORES DE RISCO

Os fatores de risco para o câncer podem ser encontrados no meio ambiente ou podem ser herdados. A maioria dos casos de câncer estão relacionas ao meio ambiente, no qual encontramos um grande número de fatores de risco.
Entende-se por ambiente o meio em geral (água, terra e ar), o ambiente ocupacional (indústrias químicas e afins), o ambiente de consumo (alimentos ee medicamentos) e o ambiente social e cultural (estilo e hábitos de vida).
As mudanças provocadas no meio ambiente pelo próprio homem, os “hábitos” e o “estilo de vida” adotados pelas pessoas, podem determinar diferentes tipos de câncer.
O envelhecimento traz mudanças nas células que podem aumentar a suscetibilidade à transformação maligna. Isso, somado ao fato de as células das pessoas idosas terem sido expostas por mais tempo aos diferentes fatores de risco para câncer, explica em parte o porquê de o câncer ser mais frequente em indivíduos com mais idade.

 

HEREDITARIEDADE
São raros os casos de cânceres que se devem exclusivamente a fatores hereditários, familiares e étnicos, apesar de o fator genético exercer um importante papel na oncogênese.
Um exemplo são os indivíduos portadores de retinoblastoma que, em 10% dos casos, apresentam história familiar deste tumor.
Alguns tipos de câncer de mama, estômago e intestino parecem ter um forte componente familiar, embora não se possa afastar a hipótese de exposição dos membros da família a uma causa comum. Determinados grupos étnicos parecem estar protegidos de certos tipos de câncer: a leucemia linfocítica é rara em orientais e o sarcoma de Ewing é muito raro em negros, por exemplo.

Textos e imagens retirados:

https://www.vencerocancer.org.br
http://www.inca.gov.br
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inca/abc_do_cancer_2ed.pdf
http://doresnocorpomediinanatural.blogspot.com/2014/06/mutacoes.html

Write a comment